jusbrasil.com.br
5 de Abril de 2020

Me formei! E agora?

Juliana Ayello, Advogado
Publicado por Juliana Ayello
há 5 meses

Todos nós conhecemos alguém que desde criança ou, pelo menos, desde o início da faculdade de Direito, sabia qual carreira iria seguir.

Porém, essa não é a realidade da grande maioria dos estudantes.

Conforme os anos vão passando, alguns alunos, por conhecimento e até mesmo pela prática de estagiário, acabam por optar por determinada carreira por maior identificação. Contudo, ainda assim, existe outra parcela de alunos que não sabe qual caminho seguir.

Se você é um desses, fique aqui que eu tenho algo a compartilhar!

Depois de quatro longos anos, chega o último, mais rápido e mais massante ano de todos: o quinto ano! Já de início, com a preparação e participação no exame da OAB, entrega de TCC, e tudo mais, começa a surgir, de fundo, a preocupação com os rumos que serão seguidos no ano seguinte.

Pode ser até mesmo frustrante para quem não sabe o que fazer, essa pressão da sociedade ou até mesmo própria para que tenhamos o futuro todo desenhado e planejado na nossa mente.

Seria lindo se fosse assim. Mas, sabemos, a prática é outra.

Assim, você se forma e não sabe o que fazer. Advogar? Estudar para concurso? Mudar de área? Buscar uma empresa?

São infinitas possibilidades, o que parece tornar tudo ainda mais difícil.

Então, para você que está perdido com a vida do sexto ano de Direito, aqui vão algumas dicas que me auxiliaram a decidir o que fazer depois de formada:

1. ENCARE SUA REALIDADE.

É lindo o discurso de fazer o que se ama e assim não terá que trabalhar nem um dia de sua vida. Mas, sabemos que nem todas as pessoas podem se dar esse "luxo".

Talvez a Ana, que mora com os pais e tem uma condição financeira estável, possa optar por se dedicar integralmente aos estudos. De outro lado, a Carolina, que mora sozinha e tem contas a pagar e sem ajuda externa, talvez não tenha a mesma possibilidade de dedicação e terá que trabalhar para se sustentar.

Assim, é muito importante que você saiba quais suas possibilidades.

2. DEFINA SUAS PRIORIDADES.

Encarada a realidade e consciente de quais escolhas você pode tomar, estabeleça suas metas:

O que você pretende agora? Ganhar dinheiro? Adquirir experiência? Experimentar? Ser funcionário? Empreender? Estudar?

Aqui, não tem resposta certa! Não há problema algum você querer ganhar dinheiro o quanto antes, assim como não é errado você ser funcionária de uma empresa ou escritório para adquirir experiência.

O que importa é seguir a sua vontade.

3. PESQUISE MUITO.

O leque que a faculdade de Direito nos abre é gigantesco e nos possibilita a atuação em diversas áreas.

Que tal você se manter antenado em tudo que está rolando e pesquisar sobre novos ramos, novos meios de atuação?

4. ESTUDE!

Independentemente de qual rumo você tomar, é importantíssimo que você se mantenha estudando, seja através de uma pós graduação, cursos de extensão, palestras, estudos independentes...

Depois de cinco anos estudando e lendo muito, é normal que você queira se dar um descanso, porém, tente manter uma rotina mínima de estudo para não sair do ritmo.

5. Por último.... MANTENHA A CALMA!

Quando nos formamos, temos muita vontade de trabalhar e colocar em prática tudo aquilo que aprendemos.

Mas tudo na vida requer paciência e com a profissão não é diferente.

Permita-se conhecer, experimentar, testar e construir sua carreira da forma que melhor lhe interessar. Não se compare! Cada um possui um ritmo e uma vida própria e a comparação somente servirá para te deixar frustrado.

......

E aí, já sabe os primeiros passos depois de formado? Conta pra mim! ;)

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Bom dia Juliana.

Gostei muito do teu artigo. Esse "filme" passa constantemente na cabeça da gente como recém formados. Mas concordo contigo, devemos manter a calma e procurar estar atentos as oportunidades.

Abraços! continuar lendo

Olá Deyseane, obrigada pelo comentário!

É realmente uma fase desafiadora, mas que nos permite um grande amadurecimento, não é?

Estamos juntas! continuar lendo